O Programa "A chance to play - O direito de brincar" é limitado quanto ao tempo de sua execução - prevista para um período de 24 meses, nos anos de 2013 e 2014 - e quanto ao espaço - seu objeto é o desenvolvimento de projetos no entorno das plantas produtivas da Volkswagen: Grande São Paulo, Taubaté, São Carlos e Grande Curitiba.

Contudo, ele não se restringe à realização de projetos focados e isolados. Denomina-se "Programa", pois a proposta é desenvolver uma ação programática, que culmine em um resultado além da simples soma de suas partes isoladas (projetos específicos).

Neste sentido, busca colocar o direito de brincar na pauta da luta pela efetivação dos direitos da criança e do adolescente e ter uma incidência nas políticas públicas referentes ao direito de brincar e à prática de esportes.

Linha de Ação 1: Boas práticas que efetivam o direito de brincar

"Somos gente, temos direito: Vamos brincar!"

O ponto de partida do Programa ACTP são projetos específicos, que buscam desenvolver boas práticas e metodologias inovadoras para a realização do direito de brincar e de jogar, levando em conta a importância do trabalho em rede como um agente transformador de boas práticas em políticas públicas.

As parcerias formadas no Programa se dão com organizações sociais que já são reconhecidas pelos trabalhos desenvolvidos em prol dos direitos de crianças e adolescentes.

Todos os 12 projetos são realizados no período de 2013 e 2014. Contudo, o objetivo é a promoção de condições para que as organizações parceiras possam dar continuidade às ações desenvolvidas mesmo após o término do Programa, consolidando as redes locais e influenciando políticas públicas.

Maiores informações sobre os projetos financiados pelo Programa ACTP, aqui

Linha de Ação 2: Capacitação - Sistematização - Multiplicação

"Brincar é coisa séria!"

O Programa ACTP aposta em processos de capacitação, de sistematização e de multiplicação com o objetivo de alcançar não apenas o conjunto de organizações participantes diretamente do Programa, mas também buscar mobilizar suas redes locais e regionais na perspectiva da efetivação de direitos através de um trabalho de incidência que efetive, amplie e universalize políticas públicas.

Desenvolver boas práticas em projeto é bom e importante. Mas o objetivo de todo projeto deve ser a sua transformação em política pública. Pois somente essa tem o potencial de efetivar direitos, universalizar o acesso e assegurar a continuidade.

Linha de Ação 3: Com o Futebol de Rua, rumo a um mundial alternativo

"Um futebol diferente!"

Para utilizar o potencial do contexto do Mundial de Futebol de 2014 no Brasil, o Programa busca dar maior visibilidade ao direito de brincar através da divulgação da metodologia do "Fútbol Callejero" (Futebol de Rua, em português), que utiliza uma visão cooperativa de jogo enquanto veículo de desenvolvimento e de transformação social.

A essência desta metodologia é a consolidação do protagonismo juvenil, que culminará na realização, no contexto do Programa ACTP, de um Mundial de Futebol alternativo, a ser organizado em São Paulo.

Para saber mais:
O "fútbol callejero" (Futebol de Rua, em português) desenvolvido pela Fundação Futebol e Desenvolvimento - FuDe (em espanhol)

Galeria de imagens: Futebol de Rua (fútbol callejero) - inovando o futebol e promovendo o protagonismo juvenil

To top